Uma luz que nos nasce por dentro

  • Em Promoção
  • Preço normal €14,00


Do mais fundo chão que hoje me é chão,

[a gelar-me os olhos]

vejo um esboço de luz preso nos remoinhos da minha visão esborroada das paredes da sala,

[a serem-me lençóis que me cobrem os sentidos que já não uso.]

Tem estado sempre lá. Como sombra possível do vazio fragmentado. Como reflexo a espelhar o infinito invisível. Como se quisesse impedir a hipotermia dos meus olhos. Do meu peito. Sinto que me atravessa. Que me visita. De dentro para fora. Que me impede de morrer. Que me salva de uma maneira que me dói. De uma forma estranha e inconsistente. Porque sou agora esta quietude a mascarar a inércia. E só me reconheço no paradoxo do silêncio a crepitar-me sereno na superfície do tumulto da alma. No tropeço da ordem na confusão. Na indiferença do caos que me traga. Sílaba a sílaba. Memorizada na atmosfera nua de todos os meus sentidos. E aquele desenho etéreo de luz a ser-me companhia. A impedir-me de morrer. A salvar-me, de uma maneira que me dói. No patíbulo de todas as coisas que hoje me são coisas.

Virgínia do Carmo, (n. França, 1973) é licenciada em Comunicação Social. Passou pelo jornalismo no início da sua vida profissional, mas logo depois os livros foram um apelo maior. Respondeu à sua vocação primeiro como livreira e posteriormente como editora. Cuida há (quase) sete anos da Poética Edições. Respeita as palavras, ama as árvores e admira os cavalos. A sua missão maior na vida: ser mãe. É autora de algumas obras, de que se destacam Relevos (poesia, Poética Edições, Setembro de 2014), Poemas simples para corações inteiros (poesia, Poética Edições, 2017) e Ecos e Green Rose (poesia, Poética Edições, 2019). Está presente como poeta em algumas obras colectivas, como a antologia de escritoras transmontanas, Por longos dias, longos anos, fui silêncio (Âncora Editora, 2015), a antologia de autores portugueses e galegos Terra, (Galiza, 2015) e a Plaquette Coletiva de Textos Breves Debaixo do Elmo (Escola Superior de Educação, Porto, 2016). Em Janeiro de 2020 publicou na Poética a segunda edição da obra “Uma Luz que nos nasce por dentro”, dada à estampa pela primeira vez em 2012.